Arquivos de Tag: 1990

Copa do Mundo 1990 – Argentina 1-0 Brasil

Oitavas-de-Finais da Copa do Mundo de 1990, Brasil e Argentina fazem um encontro decisivo como em um duelo do velho oeste, onde apenas um iria sobreviver. A Argentina era a atual campeã enquanto o Brasil perseguia o tetracampeonato, o inesperado confronto, tão sedo na competição se deu por conta da combinação de resultados da fase anterior.

A primeira fase dentro dos grupos, cada seleção realizou três jogos, sendo que o Brasil havia conquistado a primeira colocação vencendo a todos os jogos, porém, não havia deslanchado, apenas como se popularmente diz, havia jogado para o gasto, vencendo a Suécia por 2-1, Costa Rica por 1-0 e Escócia igualmente por 1-0. Havia potencial, havia lenha para queimar, mas o time não engrenava.

Contra a Costa Rica o Brasil acabou decepcionando as expectativas com uma magra vitória por 1-0. (Foto Jornal Zero Hora)

Na outra chave os argentinos a duras penas conseguiram a sua  vaga passando como um dos melhores terceiros colocados, em outras palavras, numa espécie de repescagem. A estreia Argentina não poderia ter sido pior, uma derrota para Camarões por 0-1, com direito a uma falha do seu goleiro Pumpido, no segundo jogo, novamente Pumpido é notícia, dessa vez por sofrer uma grave lesão e ser obrigado a deixar a Copa, como nem tudo é tragédia, veio uma vitória salvadora frente a União Soviética por 2-0, na última rodada um empate contra a Romênia em 1-1, garantiu a vaga nas Oitavas.

Na abertura da Copa a Argentina tropeçou no surpreendente Camarões, Omam-Biyik subiu para cabecear e contou com a falha do goleiro Pumpido. Derrota por 0-1.

Maradona, capitão e astro da seleção argentina , vinha até então aos trancos e barrancos avançando na Copa.

A partida foi muito movimentada e com muitas chances principalmente pelo lado brasileiro, parecia que finalmente o futebol da seleção havia resolvido chegar a copa, ao todo foram três bolas na trave, com Dunga, Careca e Alemão, estes dois últimos em uma sequencia no mesmo lance. Não que a Argentina não tentasse, mas a pressão brasileira foi superior em boa parte da partida, até que surge em campo a estrela de Maradona, até então meio apagado em campo devido a uma lesão e pela boa marcação brasileira, aos 35 minutos da segunda etapa ele recebe a bola na meia, avança deixando Alemão e Dunga na saudade e serve a Caniggia que marca o único gol da partida ao melhor estilo, quem não faz leva.

Marcado durante praticamente toda a partida e descontado por uma pequena lesão, Maradona usando toda a sua genialidade, aparece aos 35 minutos do 2ª tempo, ele domina a bola na intermediária, passa por Alemão e Dunga, serve em um passe perfeito a Caniggia…(Foto Revista Placar)
…Caniggia recebe a bola, observado a distância por Mauro Galvão (21), Ricardo Gomes (3) e Ricardo Rocha (19), em arrancada pela esquerda ele avança tendo Taffarel a sua frente…(Foto Revista Placar)
…na velocidade com um leve drible, Taffarel fica no caminho e com o gol aberto, Caniggia toca na diagonal para dentro do gol,  mandando o Brasil de volta para casa. (Foto Revista Placar)
…na sequência a comemoração com o gol . (Foto Jornal Zero Hora)

Com o adiantado da hora, jogando contra o relógio e contra um adversário que sabe administrar como poucos uma vantagem, não restou muito ao técnico Sebastião Lazaroni a não ser render-se ao desespero, tirando o líbero Mauro Galvão para colocar o meia Silas e sacar Alemão que a essas alturas já era apontado como um dos culpados por não parar Maradona no início do lance do gol e colocar o ponta Renato Gaúcho…  A correria e a falta de contenção no meio do campo, proporcionaram um contra-ataque argentino que obrigou o zagueiro Ricardo Gomes fazer uma falta dura e receber o cartão vermelho… Era o fim da linha para o Brasil, os argentinos embalaram e chegaram a final da copa, ficando com o Vice-Campeonato.

Ficha do Jogo

ARGENTINA 1-0 BRASIL

DATA: 24/06/1990, TIPO: Copa do Mundo – 1990, LOCAL: Delle Alpi (Turim, ITA), PÚBLICO: 61.381, JUIZ: Joel Quiniou (FRA), com Alexey Spirin (URSS) e Pierluigi Pairetto (ITA), GOL: Caniggia aos 80′. Cartões amarelos: Monzón, Giusti, Ricardo Rocha, Mauro Galvão e Goycochea, Expulsão: Ricardo Gomes

ARGENTINA: Goycochea, Simon, Ruggeri, Monzon, Olarticoechea, Giusti, Basualdo, Burruchaga, Maradona, Troglio (Calderón) e Caniggia. Técnico: Carlos Bilardo

BRASIL: Taffarel, Ricardo Rocha, Mauro Galvão (Silas), Ricardo Gomes, Jorginho, Dunga, Alemão (Renato Gaúcho), Valdo, Branco, Careca e Muller. Técnico: Sebastião Lazaroni

Como dito acima a partida foi o fim da linha do Brasil na Copa e o fim das convocações para o meia Alemão, além de estigmatizar Sebastião Lazaroni como um técnico que montou um seleção derrotada e de futebol pouco eficiente que passou a ser denominada “Era Dunga”, fazendo referência a pouca habilidade e excesso de força que segundo a imprensa caracterizava o volante. Porém, existe um outro episódio que até os dias de hoje vez por outra é relembrado, denominado de “A Água Batizada”, clique no link e entenda a história.