Homenagem aos 50 Anos da Federação Gaúcha de Futebol

Homenagem aos 50 Anos da FGF

A obra do cartunista Sampaulo em homenagem aos Cinquentenário da FGF, em 1968.

Em 1968, o cartunista Sampaulo, criou a obra Os 50 Anos da FGF onde caracterizou os 18 clubes do Gauchão daquele ano, cercando uma cinquentona (já bem velha como era o padrão da época), que olha encantada o seu bolo de aniversário. Esta obra encontra-se hoje na sede da FGF em Porto Alegre, na sala do Secretário Geral Sr. Edir de Quadros, que gentilmente me deixou fotografa-la.

Os clubes presentes na obra são (começando da direita da Senhora FGF): Internacional, Cruzeiro, Aimoré, Rio Grande, Gaúcho, Ypiranga, Rio-Grandense, Novo Hamburgo, Flamengo, Guarany, Farroupilha, Brasil, Juventude, Santa Cruz, São Paulo, Pelotas, São José e Grêmio.

De 1968 aos dias de hoje, alguns mascotes se modificaram: o Pelotas que passou a ser chamado de Lobão; o Brasil  é hoje conhecido como Índio Xavante; o Novo Hamburgo adotou um sapato como mascote; o Farroupilha virou o Fantasma do Bairro Fragata; o Rio-Grandense virou o “Guri Teimoso”, fazendo referência ao fato de ser rival do Vovô Rio Grande;  o São Paulo mantém o Leão (da Linha do Parque) como mascote, porém também é chamado de Caturrita, pássaro muito comum no Rio Grande do Sul, o Santa Cruz é o hoje chamado de Galo Carijó enquanto o Juventude adotou o Periquito como mascote.

Anúncios

3 Respostas

  1. Pois é… e o meu Internacional já teve como mascote um “diabinho”, no tempo do Rolo Compressor. Não sei se o Saci Pererê entrou antes ou depois desse “Negrinho Sapeca” de 1968. Até aí já temos três mascotes. Desconheço se antes do Rolo havia um outro mascote, mas sei que, depois do Saci Pererê, foi adotado um “macaco” em homenagem ao Escurinho. Só aí já temos quatro mascotes, sem saber se já não havia um outro antes. Já escuto uns murmúrios de que o “macaco” vai ter que ser trocado brevemente. Essa instabilidade reflete bem o espírito reinante no “Clube do Povo”, que não é mais “do Povo”.

  2. Leonardo Gomes | Responder

    Olá. Sou jornalista e pesquisador de mascotes do futebol brasileiro. Dentro da minha pesquisa há uma lacuna sobre a biografia daquele que seria o criador dos primeiros mascotes Gaúchos: o cartunista João Pompeu, que também teria trabalhado na Agencia Star Publicidade e Propaganda, primeira do ramo no RS. A questão é que não se encontra mais dados biográficos além deste nome, sobrenome e empresa por onde passou. Ele teria sido o primeiro a sugerir a figura do negro como símbolo do Inter Ayrton, e o Sampaulo continuou, depois vieram o Diabo do cartunista Sampaio (irmão do Sampaulo), o Saci do qual a versão mais antiga que encontrei é de 1969 (álguém tem charge ou imagem mais antiga?) e o Macaco Escurinho (anos 2000) como mencionou Ayrton. Quem tiver dados biográficos do cartunista agradeceria se pudesse compartilhar, pois estou elaborando um livro-documentário.
    E-mail: jornalista07@yahoo.com.br

    1. Olá, Leonardo Gomes!Não tenho nada sobre João Pompeu, infelizmente.A única coisa que posso te informar é que em — Arquivos de Categoria: 1947 Citadino de Porto Alegre 1947 – Charge — já temos uma charge que saiu no Súmulas-Tchê, um desenho dum diabinho.Mas, o mais distante que tenho é de 1938, uma foto de um recorte do Correio do Povo, do famoso Gre-Nal dos 6×0, onde uma das manchetes do jornal fala em “Diabos Rubros”, como eram conhecidos os jogadores do Colorado (anexo foto).Um abraço!Ayrton

      Date: Thu, 30 Oct 2014 15:11:19 +0000 To: ayrtongaucho@hotmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: